Afinal, o que é norma NBR 15575 de desempenho na arquitetura?

Afinal, o que é norma NBR 15575 de desempenho na arquitetura?
2.5 (50%) 2 votes
Norma de desempenho na arquitetura, NBR 15575

Recentemente, o nível de exigência dos clientes do mercado da construção civil aumentou consideravelmente. O boom do mercado imobiliário dos últimos anos foi um dos grandes responsáveis por essa mudança de panorama.

No ano de 2013, entrou em vigor a nova Norma de Desempenho de Edificações (NBR 15575), com atualizações importantíssimas para garantir a qualidade e a segurança das obras e edificações.

A norma estabelece algumas exigências no quesito de conforto e qualidade, em cada um dos sistemas que compõem uma edificação: estrutura, vedações, pisos, instalações e coberturas.

A NBR 15575 é a primeira norma a tratar da qualidade dos produtos da construção civil, bem como a sua utilização pelos consumidores. É válido afirmar que esta norma está se tornando um dos principais indicadores de desempenho de uma edificação, certificando assim sua excelência.

Desta maneira, pode-se dizer que os arquitetos também precisam se atentar a esta nova regulamentação. Afinal, o que é norma de desempenho na arquitetura? Continue a leitura deste post e descubra!

Mudanças para a arquitetura

A aplicação da norma de desempenho na arquitetura também se alterou. Os projetos realizados pelos arquitetos devem trazer as principais informações sobre os níveis de desempenho esperados dos sistemas construtivos (nível mínimo, intermediário ou superior).

Além disso, os projetos também devem contar com indicações relativas à vida útil da edificação e a previsão das manutenções periódicas. Assim, os consumidores poderão se programar para realizar as manutenções, dando a devida importância a esta etapa, diferentemente do que ocorria no passado.

Outra mudança na norma de desempenho na arquitetura se dá pela necessidade de conter nos projetos a orientação solar, áreas de abertura, sombreamento nas janelas de dormitórios e outros dados que podem ser determinantes para que o cliente saiba exatamente o que está adquirindo.

Divisão de responsabilidades com a norma de desempenho

A norma de desempenho das edificações apresenta algumas vantagens quando o assunto é responsabilidade. Por meio dela, é possível realizar a divisão correta de responsabilidades entre projetistas, construtores, usuários e, até mesmo, os fabricantes.

A NBR 15575 determina os níveis de segurança, conforto e resistência que cada um dos sistemas deve apresentar.

Assim, caso haja um produto empregado em determinado local, que não atenda os requisitos mínimos de usabilidade, o fornecedor será o responsável, isentando o arquiteto e os demais envolvidos.

Essa divisão de responsabilidades se torna fundamental que o arquiteto possa executar seu serviço tranquilamente, focando no que realmente importa e não perdendo tempo com problemas que não estão ao seu alcance.

Conceitos de desempenho na NBR 15575

Existem alguns conceitos de desempenho contemplados pela NBR 15575, já que a norma estabelece critérios técnicos para o uso de uma edificação.

O desempenho acústico, a durabilidade da edificação, a garantia das principais peças e a sua vida útil são alguns dos indicadores que devem respeitar um nível mínimo de aceitabilidade.

Numa parede, por exemplo, a estrutura não pode apresentar trincas, rachaduras ou outras falhas após ser submetida a certo impacto.

Em termos de vedação, as paredes devem propiciar a redução da temperatura interna, frente à temperatura externa. As paredes também devem conter proteção acústica, abafando os sons externos.

As coberturas devem ser resistentes contra o fogo durante um período de tempo predeterminado. As tubulações não devem estar escondidas e devem suportar até cinco vezes o seu peso, evitando o rompimento e os possíveis transtornos ocasionados por este problema.

Existem outras situações que a norma de desempenho estabelece critérios, buscando sempre a melhor utilização possível por parte dos usuários.

Pode-se dizer, inclusive, que os critérios estabelecidos pela norma visam assegurar a qualidade e a melhor praticidade da construção.

Além do desempenho quanto ao uso, a norma também estabelece parâmetros que buscam evitar situações de risco, medindo a segurança do imóvel.

Também existem critérios em termos de sustentabilidade e a habitabilidade, como o desempenho lumínico, a funcionalidade e a acessibilidade do imóvel como um todo.

Aplicando a norma

Você deve estar pensando: como verificar se todos esses indicadores e critérios estão sendo cumpridos? Como garantir se a edificação proporciona a melhor usabilidade possível para os usuários?

Existem diversos testes que visam garantir que a norma foi devidamente cumprida. Para garantir o isolamento acústico, por exemplo, são realizados ensaios em laboratórios.

Já as esquadrias devem ser testadas dentro do sistema de vedação vertical, para requisitos como estanqueidade e outros.

No âmbito da estanqueidade, deve-se ainda certificar que a edificação seja estanque às fontes externas de iluminação, provenientes de água de chuva, umidade do solo e do lençol freático.

Os pisos e áreas molhadas, como banheiros e áreas descobertas, não podem permitir o surgimento de umidade.

No caso de lajes, é necessário colocar uma lâmina d’água, durante certo tempo, em que não pode haver infiltrações e outros problemas.

Portanto, pode-se afirmar que todos os indicadores preconizados contemplam quais os testes que devem ser realizados em cada parte da edificação.

Sendo assim, a sua aplicação torna-se simples e efetiva para arquitetos e demais profissionais da construção civil.

Use a tecnologia ao seu favor

Uma maneira de facilitar a vida do arquiteto em termos de uso da norma de desempenho é o uso da tecnologia. A adoção de softwares, como o SketchUp, por exemplo, pode ser extremamente útil.

A metodologia BIM pode ser utilizada em consonância com o SketchUp para o desenvolvimento e a apresentação de projetos 3D.

Além disso, o seu uso é fácil e intuitivo, permitindo que o profissional se antecipe a possíveis problemas que só poderiam ser percebidos na fase de execução.

norma de desempenho na arquitetura, nbr 15575

Quando se pensa na norma de desempenho na arquitetura, o uso desse tipo de tecnologia é extremamente importante, pois facilita a determinação de alguns critérios de usabilidade e parâmetros que visam o melhor uso da edificação.

Porém, para se empregar a tecnologia da melhor forma possível, é necessário contar com empresas especializadas. Já existem no mercado empresas que fornecem softwares para engenheiros e arquitetos focados em desenhos em 3D.

Desta forma, será possível que o arquiteto desenvolva os melhores projetos possíveis para seus clientes, certificando que estes cumprirão o que é estabelecido na norma de desempenho e possam superar as expectativas dos futuros clientes.

É válido lembrar que o atendimento da norma de desempenho é um requisito obrigatório para os profissionais da construção civil. A não aplicação, além de ser passível de processos jurídicos, poderá representar alguns riscos para os usuários.

Diante disso, fica claro que a norma de desempenho na arquitetura representa um novo requisito que deve ser avaliado pelos profissionais que almejam o sucesso.

E aí, gostou do nosso artigo? Que tal se manter informado sobre este assunto? Então, assine nossa newsletter e não perca nenhum dos nossos conteúdos!

5 Comentários

  1. Mário Abadio da Silvasays:

    Falando em segurança e bem estar dos ocupantes de um imóvel, é sempre uma preocupação que arquitetos e engenheiros devem se preocupar, isso conta com acessibilidade e conforto em todos os sentidos.
    É de fundamental importância a aplicação de normas que verifiquem esses pormenores.
    Gostaria de estar recebendo sempre modificações ou ampliação desses quesitos.

  2. Francisco Tomaz de Albuquerque Filhosays:

    Obrigado pelo dica que continue assim nos ajudando a aprimorar os conhecimentos

  3. Oscar da Cruzsays:

    Estava na hora, até bem atrasada, dessa Norma aparecer. É gritante as falhas nas obras de prédios residenciais:hidráulica e elétrica ruim; paredes e acabamentos horríveis; vedação que não veda, sem contar o mais básico da obra: prumo e nível, enfim horrível. Parabéns a essa Iniciativa.

  4. EDSON SEBASTIÃO PASTREsays:

    GOSTARIA DE SABER QUAIS PROVIDÊNCIAS TOMAR, EM RELAÇÃO AO PRÉDIO VIZINHO DO MEU, EM FASE DE ACABAMENTO, MAS, O BARULHO É MUITO INTENSO E
    PERTURBA BASTANTE. PELO VISTO AS PAREDES NÃO TÊM ISOLAMENTO ACÚSTICO,
    QUALQUER MARTELADA OU USO DE FURADEIRA APRESENTA UM SOM MUITO ALTO.
    O MEU PRÉDIO, DE 2 ANDARES É VIZINHO DE UM DE 4 ANDARES EM FINAL DE CONSTRUÇÃO.
    GOSTARIA DE SABER O QUE FAZER?
    OBRIGADO.

    • totalCADsays:

      Olá!

      Existem diversas medidas que devem ser tomadas para execução de uma obra a fim de manter a boa vizinhança. Sugerimos que tente conversar com o proprietário da obra e expor esses problemas à ele. Mas, caso você queria consultar a regularidade da obra você poderá acionar a prefeitura, vias secretarias municipais de urbanismo, CREA ou CAU.

Deixe um comentário

Por favor, seja educado. Nós gostamos disso. Seu e-mail não será publicado e os campos obrigatórios estão marcados com "*"

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.