Case de Sucesso Juliana Stark

Conversamos com Juliana Starks, arquiteta e influencer, sobre como focarmos nossa vida acadêmica de uma forma mais precisa e acertiva e olha só o que ela contou para gente:

Como me candidatar a um estágio? Como começar? Como conseguir um estágio?

 

“Eu sei, eu sei…é difícil sim. Antes de tentá-lo, verifique seus pré-requisitos. Você já fez cursos de softwares? Pelo menos um software Cad, SketchUp e VRay? Ótimo.
Sabe algum software BIM? Excelente. Melhor ainda. Já mostrou essas habilidades? Ou seja, já fez seu portfólio?

Feito tudo isso, que sei que não é pouco, é hora de correr atrás. As formas mais tradicionais são:

  • Ficar atento aos cartazes na faculdade, que muitas vezes são colocados nos quadros de anúncios. Escritórios colocam as vagas abertas e os pré-requisitos para ocupa-la.

  • Hoje em dia é cada vez mais comum este cartaz estar no Instagram do escritório. Então pesquise e siga o maior número possível de escritórios de arquitetura, design ou engenharia da sua região. Mas sim, eu sei, é difícil conhecer todos o principalmente estar atento o tempo todo. 

  • A boa e velha indicação. Sabe aquela história de conhecer alguém que conhece alguém que te dá uma oportunidade? Ou um colega que acabou de sair de um estágio pode te indicar por exemplo. 
  • Enviar seu portifólio para alguns escritórios de seu interesse. Envie um ótimo portifólio em e-mail individualizado e personalizado. Não vale enviar para um mailing gigante de profissionais ao mesmo tempo e chamá-los de prezados. Chame pelo nome, mostre que conhece o trabalho dele e diga porque gostaria de estagiar lá. Personalize essa conversa. 

Mas eu sei gente. Já fui estudante e trabalho com estudantes diariamente. O difícil é começar. Arrumar o primeiro estágio não é fácil. Principalmente porque é comum um dos pré-requisitos ser “já ter experiência”. 

Então como ter a primeira experiência? Quem vai me dar essa chance?

 

Todos os dias, mas todos os dias mesmo, eu recebo e-mails ou mensagens de alunos procurando estágio ou emprego. Mas o sentido oposto também acontece. Colegas de profissão precisando de bons estagiários e funcionários. 

 

 

Aqui fica uma dica: só domínio de softwares não será suficiente muitas vezes. Isso não tem se tornado diferencial, é quase obrigatório, vamos dizer assim.

Sabe qual tem sido o diferencial? Ou seja…entre todos que dominam os softwares, muitas vezes a vaga fica com aquele que tem mais habilidade comportamental. 

Saber trabalhar em equipe, ser dinâmico, pontual, comprometido, responsável e gente boa são algumas características observadas hoje em dia pelas empresas. 

Tranquilo para você ne? Acredito que sim! Então trabalhe cada vez mais essas habilidades, DOMINE softwares e bom trabalho.

O que você faz que não está no seu currículo? 

Dedico grande parte do meu tempo a ensinar e ajudar. Para isso preciso estar muito atenta a tudo. Me interesso bastante em acompanhar cases de sucesso em qualquer área. Leio livros, assisto vídeos, filmes, qualquer coisa que me faça refletir sobre carreiras.

 

Como ser o profissional do futuro

Em um dos meus momentos de estudos, me deparei com um vídeo no Youtube que adorei. Michelle Schneider falando sobre o profissional do futuro no TED.

Bom, não vou contar tudo aqui, afinal são quase 20 minutos de vídeo e acho que vale cada segundo de atenção. 

Eu não conhecia o trabalho da Michelle. Ela se apresenta como uma pessoa que trabalha no Linkedin e por ironia do destino conhece Alexandre Hohagen, o cara que trouxe facebook e google para o Brasil, por acaso dentro do avião. 

Conversaram de tudo um pouco e ela não se aquietou enquanto não fez uma pergunta que pudesse contribuir para sua vida profissional. Então tomou coragem e perguntou a ele:

 “O que você olha antes de contratar alguém? ”

Ele disse que olhava muito quem era aquela pessoa fora do ambiente de trabalho. Ela disse que no Linkedin, eles têm uma dinâmica parecida. Todo mês acontece uma reunião interna e os novatos têm que ir na frente e dizer o que não está no perfil do linkedin…é uma maneira parecida de descobrir essa habilidade. 

Nossa…como isso mexeu comigo! É verdade…como o lado B das pessoas é interessante. Adoro saber. Sempre vejo um profissional super bem-sucedido e penso…o que será que ele faz nas horas vagas? Será que ele tem um hobby? Adoro imaginar isso.

E muito rapidamente fui vasculhar a vida da Michelle. 

Olhe o que eu achei:

14 anos de experiência nas áreas de Vendas, Marketing e Recrutamento em empresas de médio e grande porte. Atualmente é responsável pelas verticais de Serviços Financeiros, Saúde e Educação da área de Soluções de Marketing no LinkedIn, a maior rede de profissionais da internet.
Especialidades: Relacionamento com Cliente, Desenvolvimento de Negócios, Venda B2B, Venda de Mídias Sociais, Gestão de Equipe, Start-up, Inovação.
Experiência internacional, DJ profissional e maratonista.

Pronto. Virei fã. 

Ah! O profissional do futuro? Segundo ela, o profissional precisará ir muito além das habilidades técnicas. Ele vai precisar ter habilidades comportamentais. Acho que isso até dá uma outra conversa!

 

O currículo de um arquiteto e um designer de interiores

Sempre falo para os meus alunos da importância de um bom currículo e principalmente de um portfólio. Arquitetos e designers precisam mostrar trabalhos. É assim que conseguimos clientes e empregos. Sabe aquele trabalho de faculdade bacana? Então! É assim mesmo que a gente começa. Faça bem feito, com vontade, dedicação e coloque no seu portfólio. É no portfólio que você mostra tudo que domina: softwares, detalhamento, executivo, escrita, apresentação, composição…

Agora, o que me fascinou aqui é que a Michelle está falando das atividades extracurriculares. E isso faz muito sentido. Talvez sejam elas que mostrem quem você realmente é.

Por exemplo não consigo imaginar um atleta, mesmo amador que não seja disciplinado. A pessoa tem foco. Gosta de sair da zona de conforto. Muitas vezes nem é competitivo. Ele compete com ele mesmo. Apenas quer ser cada dia melhor…uau! Quando paro para pensar e escrever isso me dá um orgulho danado de mim mesma. Apesar da rotina intensa, não abro mão das minhas corridas. Me desafio semanalmente. Crio um foco, um objetivo e vou.”

E você? O que você faz que não está no seu currículo?

 

 Julia Stark é arquiteta, influencer,  diretora da @escola_desenhar, sócia do @stark.studio e professora na UNA.

Deixe um comentário

Por favor, seja educado. Nós gostamos disso. Seu e-mail não será publicado e os campos obrigatórios estão marcados com "*"

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Share This