5 dicas de processos de gestão para projetos de arquitetura

O atual mercado de trabalho está exigindo, cada vez mais, profissionais completos e eficientes. A graduação deixou de ser um grande diferencial e está se tornando um item básico para se conseguir um emprego.

Assim sendo, profissionais das mais diversas áreas estão se especializando e buscando novos conhecimentos, visando melhores oportunidades e o crescimento profissional.

Os arquitetos, por exemplo, estão utilizando conceitos de gestão de projetos em seu dia a dia, otimizando os processos e aumentando a eficiência de uma construção. Muitas construtoras já contam com arquitetos para fazer o meio de campo entre os interesses da empresa e do consumidor, entre outras atribuições.

Muitas das atividades poderiam ser realizadas pelo mestre de obras, mas esse tipo de escolha pode ser maléfica para o futuro da companhia. Esse profissional não proverá a devida atenção aos detalhes e cuidará, apenas, do orçamento final. Dessa forma, a obra será mal gerida, apresentando sérios problemas.

Profissionais que possuem o conhecimento dos principais processos de gestão para projetos de arquitetura têm a capacidade de oferecer um serviço de acordo com o que é esperado pelo mercado, com soluções de maior rapidez e qualidade, fatores que interferem, diretamente, no prazo e no preço final do produto.

Interessou-se sobre o assunto? Então, continue a leitura deste artigo e conheça 5 dicas de processos de gestão para projetos de arquitetura. Não deixe para depois!

1. Delegar atividades

Uma das habilidades que um arquiteto precisa ter para conseguir gerir seus projetos é a arte de delegar. Essa é a única maneira de conseguir tempo suficiente para resolver as atividades prioritárias e, ainda, concentrar em suas atribuições.

Para ser bem-sucedido, deve-se conhecer bem sua equipe e escolher tarefas para pessoas que apresentam reais capacidades de executá-las, da melhor maneira possível. Assim, o resultado será adequado e não haverá a necessidade de retrabalhos. Saiba as características de cada um dos seus profissionais e preste atenção em suas melhores habilidades.

Delegar tarefas pode gerar dois tipos de resultados: os colaboradores estarão engajados com a empresa e o gestor terá mais tempo disponível para focar no que realmente importa.

2. Definir prioridades

Definir prioridades também é uma excelente dica de processo de gestão para projetos de arquitetura. Após identificar as necessidades dos clientes e anotar os pontos importantes, é preciso colocar essas informações em um plano de ação, facilitando os próximos passos.

Para facilitar o procedimento, pode-se separar as atividades em etapas. Quanto mais detalhado for o processo, mais fácil será a definição de prioridades e a gestão de projetos, como um todo.

Após destrinchar todas as atividades, utilize checklists para a realização de conferência e analise os pontos mais importantes. Quando tudo já estiver mastigado (processos estruturados e divididos, recursos alocados e responsabilidades atribuídas) será mais fácil descobrir o que é prioritário, lembrando sempre das metas e objetivos traçados pela empresa.

3. Fazer um planejamento

O planejamento é uma das etapas mais importantes da gestão de projetos, de acordo com os conceitos do PMBOK (Project Management Book Of Knowledge). Um planejamento bem realizado deve considerar uma série de quesitos, buscando sempre controlar todas as etapas de um projeto.

Ele é responsável direto por uma melhor utilização dos recursos, otimização dos processos, maior qualidade do serviço e, ainda, provendo uma organização mais eficiente.

Lembre-se, sempre, de analisar o objetivo do projeto, o escopo e, principalmente, os riscos. Todas as etapas devem ser pensadas de acordo com essas informações, garantindo que a sua empresa, em conjunto com sua equipe, está dando passos certos para o sucesso.

Em termos de gestão de riscos, o planejamento é fundamental para preveni-los, permitindo que o gestor tome ações para mitigar as ameaças.

Além disso, é válido lembrar que um risco pode ser uma oportunidade, que deve ser maximizada e aproveitada, por isso essas ações devem ser realizadas com um planejamento de qualidade.

4. Ter softwares de gestão

O mundo corporativo está em constante evolução. Atualmente, há uma série de softwares de gestão capazes de simplificar algumas tarefas e otimizar a rotina dos profissionais.

No âmbito da arquitetura, por exemplo, existem opções no mercado que automatizam as atividades, permitindo ao arquiteto o acompanhamento mais eficaz dos projetos e a geração de relatórios (que são recursos excelentes para a tomada de decisões).

Procure por programas que consigam elaborar orçamentos, definir prazos e visualizar tarefas pendentes. Dessa maneira, os demais processos serão beneficiados, pois o profissional conseguirá ter ciência de todo o andamento do projeto, bem como das responsabilidades de cada profissional.

Além disso, o arquiteto conseguirá identificar quais tarefas estão pendentes, os motivos para tal e quais são os profissionais responsáveis por determinado item. O ganho de produtividade com essa tecnologia será iminente.

5. Usar a tecnologia a seu favor

Os profissionais de arquitetura necessitam, imensamente, de programas de computador. ZWCAD, SketchUp, V-Ray, quantCADe tantos outros recursos são necessários no dia a dia de um arquiteto. É imprescindível, para um profissional de qualidade, saber operar e trabalhar com esse tipo de tecnologia.

Utilizar a tecnologia a seu favor é um dos segredos do sucesso. Os recursos tecnológicos são essenciais para uma gestão de processos para projetos de arquitetura eficiente e de qualidade. Com eles é possível produzir projetos com maior rapidez, otimizando os fluxos de trabalho e provendo maior agilidade nas suas entregas.

É importante procurar empresas que ofereçam recursos financeiramente acessíveis, fáceis de serem utilizados e que não exija muito dos computadores. Dessa maneira, a empresa não perderá tempo com adaptação, treinamentos e, ainda, não precisará despender uma grande quantia financeira como investimento.

Pode ser interessante, também, procurar por alternativas que permitam o acesso mobile, pelo smartphone, se tornando uma vantagem em reuniões com os clientes. Outra maneira de utilizar a tecnologia a seu favor se dá pela integração dos recursos com os demais softwares da empresa, facilitando todo o processo de gestão para projetos de arquitetura.

A tecnologia BIM, por exemplo, permite a integração de todos os projetos de um empreendimento, identificando as interferências entre eles e, ainda, permitindo a integração dos projetos com a equipe de orçamento, planejamento e acompanhamento de obras. Vale a pena conhecer e utilizar.

Otimizar e melhorar processos de gestão para projetos de arquitetura pode ser fundamental para a sua carreira. Invista nesse tipo de conhecimento e tenha uma carreira promissora e de sucesso.

A cada dia, os arquitetos estão se preparando para entrar no mercado de trabalho e se destacar. Não perca tempo e passe aplicar seus conhecimentos de processos de gestão para projetos de arquitetura.

E aí, gostou do nosso artigo? O que achou das dicas que listamos? Interessou-se? Então, nos siga no Facebook, Instagram, Twitter e LinkedIn, inscreva-se em nosso canal no YouTube e receba as notificações de todas as nossas atualizações.

Deixe um comentário

Por favor, seja educado. Nós gostamos disso. Seu e-mail não será publicado e os campos obrigatórios estão marcados com "*"

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Share This